Blog do Ap Josué Barbosa

terça-feira, 31 de agosto de 2010

APRENDENDO A ADORAR COMO JESUS

- Jo 4:23,24

INTRODUÇÃO

A palavra usada por Jesus para adoração neste texto refere-se à adoração em Espírito e em verdade, deixando assim, claro, que o conceito que se tinha de um único lugar para adoração, deixava de vigorar. Jesus antes de tudo, diz que a adoração não é uma questão externa. A verdadeira adoração é um ato de espírito, já que um dos significados da palavra adorar é prestar homenagem, deve partir do interior de cada um.

AS FORMAS DE ADORAÇÃO.

O templo continuava ocupando um lugar importante na adoração da igreja e manteve sua importância durante todo o ministério de Jesus, e Ele participou das festas religiosas: a páscoa, a festa dos tabernáculos e a festa da dedicação. Por ocasião da festa dos tabernáculos, Ele ensinou que era a verdadeira água da vida. Ou seja, que seria através dele que o homem seria liberto da religiosidade, que não é a adoração verdadeira. A páscoa foi aproveitada para estabelecer a Santa Ceia, e o derramamento do Espírito Santo teve ocasião na festa de pentecoste. Nos evangelhos, encontramos exemplos de adoração individual e pública, ali há exemplos de pessoas como João Batista, que foi um dedicado profeta e o próprio Senhor Jesus, jamais se descuidou de dedicar-se a adoração ao Deus Pai. Jesus ensinou que a oração e jejum são práticas necessárias a adoração, Mt 17:21. A adorarão pessoal foi muito bem exemplificada pelos apóstolos. Paulo, por exemplo, praticava e recomendava I Tes. 3:10 ; 5:17. A adoração através da oração. Em adição à oração, Paulo recomendava o estudo diligente das escrituras, mediante leitura e memorização, II Tm 3:15; Ef 6:17. Ele exortava para uma vida cristã bem disciplinada.

ELEMENTOS COMPONENTES DA ADORAÇÃO.

A ORAÇÃO, naturalmente era um dos elementos básicos da adoração cristã primitiva. A igreja dedicava-se à oração em meio às perseguições, era comum aos crentes estarem de joelhos clamando ao Senhor. E todas as dificuldades que foram surgindo também proveram motivos para a igreja estar orando, Atos 4:23-31.

LOUVOR, o louvor está intimamente ligado à oração, é a confissão da natureza e das obras de Deus, de fato, oração na forma de ações de graça também é louvor. Contudo, o louvor a Deus tem o seu próprio papel na adoração. Muitos hinos cristãos e cânticos espirituais louvam a Deus. Paulo alude ao cântico dos Salmos, durante a adoração, em uma de suas cartas aos Coríntios, e a hinos e cânticos espirituais em Ef 5;19.

CONFISSÃO DE PACADOS, a confissão de pecados acha-se no âmago da adoração, pois, quando a dignidade de Deus é exaltada, a indignidade do homem requer ser reconhecida. As orações e os Salmos do Antigo Testamento estão repletos do reconhecimento de culpa, paralelamente aos pedidos de perdão e restauração, bem como a louvores e ações de graças pela misericórdia e perdão divinos. Pedro confrontado por Jesus confessou-se um homem pecador, Lc 5:8.

CONFISSÃO DE FÉ, A fé da igreja primitiva, era a fé em Jesus como Salvador e Deus. Pedro fez essa afirmação primária em Mt 16:16. A obra do Espírito Santo faz com que os crentes afirmem e confessem que Jesus é o Senhor, I Cor 12:3. Finalmente esta verdade será conhecida em todas as línguas, Fl 2:11.

COLETAS, a alusão a uma coleta semanal, em I Cor 16, tem dado margem para que o ponto de vista de que as coletas faziam parte da adoração cristã primitiva. Neste sentido adoramos ao Senhor com nossos dízimos e ofertas.

A ESSÊNCIA DA ADORAÇÃO

A adoração cristã consiste na adoração de Deus Pai, através de Deus filho. O adorador do Novo Testamento mantém-se em uma relação pessoal de filiação a Deus, como base em sua adoção em Cristo. O crente ora no nome do Filho, João16:23.

CONCLUSÃO

A adoração é aceitável, em vários pontos da vida do crente, porque toda vida cristã consiste em vida no Senhor, Rm 14:8. A verdadeira adoração tanto foi em espírito como foi no Espírito; e conforme Jesus mostrou, Seu próprio ministério resultou em uma vinda específica do Espírito, tornando possível a plenitude da adoração que é em espírito e em verdade.

Pr Josue Barbosa.

Um comentário: