Blog do Ap Josué Barbosa

quarta-feira, 27 de outubro de 2010

A ECONOMIA DE DEUS

Havia um velho rico em Israel que tinha três filhos e dezessete
camelos. Consciente que não ficamos aqui para sempre, o velho
preparou seu testamento, explicando como dividir os camelos entre
seus filhos. Ao filho mais velho, o pai deixou a metade (1/2) de seus
camelos. Ao segundo filho, doou um terço (1/3). E ao filho mais moço,
ele deu um nono (1/9) dos seus camelos.
Quando o velho homem foi para a glória, seus filhos leram o
testamento. “Como pode ser isto?” questionou o filho mais velho.
“Dezessete é um número primo e não pode ser dividido”. O segundo
filho indagou: “Vocês sabem que o pai não queria que cortássemos
um dos camelos, é claro”. E o terceiro filho sugeriu que procurassem
a ajuda de um sábio para solucionar o problema. Eles assim o fizeram.
O sábio ouviu o problema e disse: “Se eu ajudar, vocês concordam
em me pagar com a quantidade de camelos que sobrar? Garanto que
cada um receberá a porção devida, conforme a vontade de seu pai”.
Os rapazes aceitaram a proposta.
Ele levou os três mancebos ao seu estábulo e disse: “Em memória
de seu pai e meu querido amigo, eu darei um de meus camelos a
vocês. Agora acrescentemos um camelo à herança de vocês, que
terão dezoito camelos. Ao primogêntido, a metade. Receba seus nove
camelos. Ao segundo filho coube um terço, ou seja, seis camelos. E ao
caçula, a sua parte é de um nono, assim ele receberá dois camelos”.
Os jovens, então, lembraram-se do acordo com o sábio. E fizeram
as contas: “Eu tenho nove camelos”, disse o mais velho. “Meu segundo
irmão ficou com seis, e o mais jovem recebeu dois (9 +6+2= 17). Ei,
nós recebemos dezessete camelos, não precisamos cortar nenhum,
fizemos a vontade de nosso bom pai, e ainda temos um camelo, que
sobrou, para pagar o sábio!”
Irmãos, é assim que funciona a Economia de Deus! “Dai e servos-
á dado; boa medida, recalcada, sacudida e transbordando, vos
deitarão no vosso regaço” (Lucas 6:38). Se você estiver pensando em
aplicar este princípio aos três filhos, você não entendeu. O exemplo
é o homem sábio. Lembre-se: “Dai e ser-vos-á dado”!
Quanto aos filhos, teria sido necessário que um deles doasse a
fração de sua herança, mas eles só pensaram em si mesmos. Mas,
o sábio resolveu o problema por dar um de seus camelos. E você
ainda questiona, “mas o texto bíblico diz que quem dá recebe ‘boa
medida, recalcada, sacudida e transbordando...’, porém o sábio só
recebeu o mesmo tanto que deu (um camelo)”.
É que você ainda não entendeu. O sábio por ter dado um camelo,
recebeu um camelo, mais a honra de ser um homem generoso (doou
um camelo em memória de seu velho amigo) e ainda mais ganhou a
fama de ser realmente um homem sábio capaz de solucionar os mais
difíceis problemas (correu célere a sua reputação).
Moral da História: Se quiser entender a Economia de Deus, doe e
verá o princípio da “boa medida, transbordando” em sua vida.
Aprendamos com o Antigo e o Novo Testamento esse princípio da
Economia de Deus। Leiamos Malaquias 3:10-12 e 2 Coríntios 9:6-12.
Fonte; Igreja Batista Fundamentalista Cristo é Vida.

Um comentário:

  1. Mensagem maravilhosa e edificante, neste mundo temos que saber retribuir o que recebemos com amor, felicidades querido irmao

    ResponderExcluir