Blog do Ap Josué Barbosa

quinta-feira, 4 de novembro de 2010

VIVENDO O NOVO DE DEUS

VIVENDO O NOVO DE DEUS
2 COR 5;17

“E assim, se alguém está em Cristo, é nova criatura: as coisas antigas já passaram; eis que tudo se fez novo.”

1-Quem está em Cristo vive um novo tempo

Um tempo de cura e libertação, ser nova criatura não é apenas um rótulo que indica uma religião, ou algo deste tipo, é antes de tudo, a passagem para uma nova vida, com garantias expressas na Palavra de Deus. O apóstolo Paulo, fala de que; se Cristo morreu, foi para aqueles que por Ele forem salvos, não vivam mais para si mesmos, ou seja, o que importa nesta transformação é o desejo semeado em cada um de fazer a vontade de Deus. Pois, morrer para si, é deixar de viver segundo o velho homem, (Velha Natureza). Isto é, renunciar as obras da carne, Gálatas 5:19-21. O que implica agora, depois de transformados em novas criaturas pelo poder regenerador do Espírito Santo é fazer a vontade do Pai. Se de fato, não deixou de viver na carne, pois continuam pecadores, pelo menos, nos indica as Escrituras, a existência de um conflito entre carne e Espírito, conflito este, que nasce da consciência que nos traz o Senhor de que somos pecadores regenerados e não temos mais prazer no pecado. E isto, é não viver na prática do pecado. I João 3:7-8.

2- As coisas velhas já passaram

Uma das primeiras ações do Espírito Santo em nós é convencer do pecado, da justiça e do juízo.
Do pecado, disse Jesus; “por que não crêem em mim”. Veio trazer, a cada indivíduo, a certeza de Salvação, e a libertação da condenação do pecado, por meio de Cristo, Romanos 8:1. E a certeza de que através da confissão a Cristo todos são salvos. Romanos 10:9-10. Da Justiça, pois indo para o Pai, o consolador, o que iria consumar a Salvação pela habitação no homem regenerado, viria, João 16:7. Veja que o Senhor está falando ser necessário que Ele vá, para que o Espírito Santo venha, Então, desta forma, podemos concluir que apenas conhecer a história de Cristo, como muitos conhecem não é suficiente para ser salvo, e sim, aceitar o Sacrifício, João 1:12, pois, só assim, o Espírito Santo passa a habitar no homem. João 14:17. Do Juízo, pois o inimigo de nossas almas foi também julgado na Cruz, dando-nos a certeza de que suas obras foram destruídas, I João 3:8.

3-Tudo se fez novo

Em contraste com as obras da carne, que são obras praticadas antes do conhecimento de Deus, ou por aqueles que não conhecem a Cristo, o Senhor nos concede o Fruto do Espírito, descrito em Gálatas 5:22-23. Vale salientar, que estas qualidades, não são opção. A idéia é de algo inerente ao novo crente. Até por que, diz que, os que são de Cristo já crucificaram a carne, com suas paixões e concupiscências. Gálatas 5:24. Convocando-nos para andarmos no Espírito, ou seja, em novidade de vida. Neste sentido nos mostra uma nova perspectiva da vida, os sonhos são restaurados. O desanimo dá lugar a um ânimo que leva a novas conquistas.

4-Uma proposta de Santidade

Ser Santo, não leva, neste sentido, a concepção de um semideus, que faz milagres ou coisas deste tipo, pois o homem de Deus quando realiza algo sobrenatural, sempre é Deus agindo por meio dele, por tanto, não tem mérito algum. Tem sim, o caráter de algo separado, consagrado por Deus. I Pedro 1:15. Assim como o Senhor é Deus Santo, separado de todos os outros deuses, em seus atributos, caráter e manifestação soberana, quer que assim também tenhamos uma vida de alguém separado do resto do mundo, com vida reta, preservando os valores bíblicos. Santidade é consagrar-se a um único e verdadeiro Deus.

Conclusão

É bem verdade, que ser nova criatura, de imediato mudam-se algumas poucas coisas, pois é no tratamento e conhecimento de Deus, que o cristão é aperfeiçoado, Efésios 4:11-14. Ora! É um processo natural de quem inicia em alguma coisa, ou mesmo na vida, quando nasce uma criança, seu desenvolvimento depende muito além daquilo que a própria natureza se encarrega, por exemplo; o processo de começar a andar, depende também a criança de um acompanhamento, neste caso, geralmente, os pais têm papel preponderante no desenvolvimento motoro e cognitivo. Na vida cristã, acontece praticamente igual, nossa fé antes depositada, em muitos casos, de forma contundente naquilo que não edificava, agora, neste aperfeiçoamento, somos moldados segundo o caráter de Cristo. Para se chegar à unidade da fé, que é exatamente, conhecer ao Senhor, e com isto alcançarmos a maturidade. Depositando nossa fé em um único DEUS VERDADEIRO.

Um comentário:

  1. Pastor, muito edificante seu texto, acredito que o novo de Deus como é proposto no texto acima, é a transformação pessoal da aceitação de Cristo como referecial. A mudança da personalidade, realmente, se faz pelas novas atitudes comportamentais que nascem do conhecimento da vontade de Deus para nossas vidas e isso é que mantem firme um verdadeiro adorador.
    Obrigado Pastor.

    ResponderExcluir