Blog do Ap Josué Barbosa

terça-feira, 12 de junho de 2012

Propósito das células


Desatando a Unção de Conversão na Família

“Depois, trazendo-os para fora, disse: Senhores, que devo fazer para que seja salvo? Responderam-lhe: Crê no Senhor Jesus e serás salvo, tu e tua casa. Atos 16:30-31.”

1-Promessas de conversão de nossa casa (Primeira semana)
Embora, seja consenso entre a maioria dos estudiosos da Bíblia, de que esta passagem é especificamente voltada para o carcereiro e sua família. Podemos, entretanto, tomar como promessa de Deus para nós, se não vejamos; em Atos 16:14-15, fala expressamente da conversão de uma mulher chamada Lídia, no verso 15, relata;... “Ela e toda a sua casa”..., referindo-se que foi batizada naquele dia, aquela família. Ainda para mostrar outro exemplo bíblico, o Apóstolo Pedro, em sua exposição aos Judeus em Jerusalém, Atos 11; 1-18, falou como se deu a conversão de Cornélio e de sua família, Atos 10; 44. É preciso, salientar, sobretudo, que não queremos com essas narrativas, afirmar que a Bíblia promete, rigorosamente, a conversão de nossos familiares, simplesmente pelo fato de termos recebido a Cristo como Salvador de nossas almas, é o que o Apóstolo Paulo deixa claro em 1 Coríntios, 7:16 “ Pois, como sabes, ó mulher, se salvarás teu marido? Ou, como sabes, ó marido, se salvarás tua mulher?

2-Promessas e garantias

O Apóstolo fala no texto anterior de garantia, que é a certeza revelada por Deus sem depender de outros fatores, por exemplo: A Bíblia diz; "Se, com a tua boca, confessares ao Senhor Jesus como Senhor e, em teu coração, creres que Deus o ressuscitou dentre os mortos serás Salvo". Romanos 10:09. Esta é uma garantia, depois de realizado o fator preponderante que é, o abrir a porta do coração para que Cristo possa entrar, Apocalipse 3:20. Antes desta decisão, no entanto, alguém deve ter clamado para o quebrantamento deste coração, e assim, Deus agiu, quando a porta foi aberta, Cristo entrou. Tem-se que lutar pelas promessas fazê-las acontecer pela oração e súplicas. Deus prometeu a terra de Canaã a Israel, os israelitas tiveram que lutar pela posse, esta sim, era uma garantia de Deus, a posse, vemos que muitos não creram e não viram a promessa se concretizar.

3-Agindo conforme as regras

A Constituição de nosso país assegura que nosso domicílio (casa) é inviolável, não podendo nele ninguém penetrar sem prévia autorização do proprietário ou por ordem judicial, nesta última, somente durante o dia. Assim as autoridades que têm legitimidade, não podem transgredir a lei, geralmente não vão contra este princípio constitucional. Tomamos este exemplo, apenas para que você compreenda a questão espiritual que nos envolve. Deus tem legitimidade sobre nossas vidas, como criador e Senhor, e Ele especificou regras, Romanos 10:9-10, Apocalipse 3:20, João 3:36, apenas para citar alguns versículos, para que você entenda. Deus não vai transgredir estas normas, embora tenha Poderes para isso, pois a Bíblia diz; que, o pecado é a transgressão da Lei, 1 João 3:4c, e Deus não peca, 1 João 5b.

4-A transgressão não vem de Deus

Mas, a Bíblia adverte, que existe um transgressor das normas físicas e espirituais, em João 8;44, “Vós sois do diabo, que é vosso pai, e quereis satisfazer-lhes os desejos. Ele foi homicida deste o principio e jamais se firmou na verdade, porque nele não há verdade. Quando ele profere mentira, fala do que lhe é próprio, porque é mentiroso e pai da mentira”. Se ele é transgressor da Lei, podemos então, voltar ao exemplo extraído de nossa constituição, ele não tem legitimidade e nele não está a verdade, e através da mentira, com astúcia entra nos lares sem ser convidado, corrompe as famílias de toda forma, causando intrigas, entre todos os membros, separações em todos os níveis, contendas.

5-Anulando o transgressor pela legitimidade espiritual

Os membros de uma família são portas de entradas de bênçãos ou maldições. No entanto, A Bíblia diz que; Jesus se manifestou para destruir as obras do diabo, 1 João 3:8b, e isto é uma garantia, e a anulação destas obras se dá por legitimidade, e neste caso a autoridade recai sobre cada membro da família.

6-A legitimidade do pai

A maior responsabilidade e legitimidade são do homem enquanto pai ou esposo, constituído por Deus chefe maior da família. Em Gênesis 2:15-17; “Tomou, pois, o Senhor Deus ao homem e o colocou no Jardim do Éden para o cultivar e o guardar. E O Senhor Deus lhe deu esta ordem: De toda árvore do jardim comerás livremente, mas da árvore do conhecimento do bem e do mal não comerás; porque, no dia em que dela comeres, certamente morrerás”. Deus legitima o homem como sacerdote sobre sua família, dar a responsabilidade sacerdotal, que é apresentar a vida espiritual da família diante de Deus, através de intercessões contínuas. O homem deve buscar um relacionamento com Cristo, para assumir a legitimidade de sacerdote sobre sua casa para que veja as promessas de Deus se cumprirem em sua vida. A Bíblia adverte que as orações do homem podem ser interrompidas se ele não cumprir seu papel, 1 Pedro 3:7, o Apóstolo Paulo disse que, a esposa, mesmo que não conhecendo a Cristo, é santificada pelo convívio do marido crente. Então, agora, precisamos voltar ao princípio do texto, ao relato do carcereiro, nossa família pode ser restaurada pela presença de Deus, através de um convite pessoal, AP 3;20, e vem, prioritariamente através do homem, que tem legitimidade de Deus, como cabeça do lar, Efésios 5:23. Mas infelizmente, nem todos os homens, são conscientes de sua responsabilidade, e menosprezam o relacionamento com Deus, não sendo porta de entrada de bênçãos de Deus em sua casa, sendo entrave para conversão da família.

7-A legitimidade da mãe

O Apóstolo Paulo em 1 Coríntios 7:14, diz que o marido incrédulo é santificado no convívio da esposa, santificado é diferente de ser salvo, o que está em foco aqui é exatamente cumprir os mandamentos do senhor, para ser porta de entrada de bênçãos através do testemunho, e busca incessante de Deus por parte da mulher, que sendo sábia edifica a sua casa Provérbios 14:1a. Para compensar a falta do esposo como sacerdote, a mulher tem que assumir esta função, que é somente espiritual, de intercessão, nunca de chefe na família, pois este papel é sempre do homem, e isto envolve reconhecer que seu lar precisa de Cristo. Deve ser a mulher, submissa ao esposo, Efésios 5;22, a fim de que Deus opere e transforme sua família, pois, todo lar ajustado ou desajustado precisa da ação poderosa de Deus, que vem através da conversão de seus membros ao SENHOR.

8-A vontade de Deus é que toda família em conjunto cumpra seu papel

Deus legitimou os pais como modelos de caráter, dedicação, honestidade, moral, para que pudessem ser canais de bênçãos para os filhos, consolidando o lar como célula maior da sociedade, para que assim, todos reconheçam ao Senhor como único e verdadeiro Deus. Mas, nem sempre isto acontece muitas vezes os corações dos pais são endurecidos pela religiosidade, ou até mesmo pelas dificuldades enfrentadas no decorrer de suas histórias, o que causa muitos problemas, inclusive traumas profundos na alma dos filhos, se você é um pai ou uma mãe ou até mesmo filho que tenha vivido esta realidade, hoje o Senhor Jesus quer te libertar.

9-A responsabilidade dos filhos

Se você não vê em seus pais este referencial de líderes espirituais, então é nesta hora que você, como filho deve assumir a função sacerdotal de seu lar, recebendo a Cristo e vivendo de acordo com a palavra de Deus. A Bíblia ordena que os filhos obedeçam a seus pais no Senhor, pois isto é justo, honrar o pai e a mãe, para que os dias de vida sejam prolongados sobre a terra, Efésios 6:1-3. Veja que até os dias de vida de uma pessoa, estão condicionados à obediência aos pais, que dirá outras coisas mais simples como a felicidade do lar, o quebrantamento do coração dos pais através do testemunho de vida, das mudanças de atitude.

10-O projeto maior de Deus para as famílias

O fato é que, o Senhor tem projetos grandiosos para nossas famílias, porém, vimos que todos os membros são portas de entrada de bênçãos, e a salvação é uma dádiva de Deus para o homem, e neste sentido, a Salvação de nossa família é um processo que alguém tem de iniciar, pois, o Senhor já determinou a mudança de nossa história ao enviar seu Filho ao mundo para pagar o preço de nossos pecados. Tanto pai, mãe ou filho tem essa responsabilidade, e hoje, Deus está chamando você, que exerce uma destas funções em uma família, vivendo ou não com ela, para aceitar o desafio de servir a Cristo e desatar uma Unção que vai mudar para sempre esta história, pois a maioria dos problemas que enfrentamos é consequência da negligência para com as coisas de Deus e de fatores espirituais mal administrados. De certa forma, é o que podemos chamar de ausência de Deus. Sabemos que “Deus é presente, nunca ausente.” “Chegai-vos a Deus e ele se chegará a vós outros” é o que diz em Tiago 4:8ª, achegue-se hoje mesmo a Deus, e ele te tornará um herdeiro da promessa, pois achegar-se é, sobretudo, envolver-se em relacionamento com ele, e quando isto acontecer através da conversão, a promessa se realizará como garantia do amor incondicional de Deus por você.



TUDO É POSSÍVEL AO QUE CRER (Segunda semana)
“Tudo posso naquele que me fortalece”
Fp 4:13
INTRODUÇÃO
Acredito que a maneira mais fácil de começar este estudo, é definindo o que seja fé, e para isto, nada melhor do que a definição mais conhecida na Bíblia; “Ora, a fé é a certeza de coisas que se esperam a convicção de fatos que não se veem”. (Hebreus 11.1). Todos nós procuramos agradar a Deus, seja por meio da oração, por meio do trabalho ministerial, da própria busca pelo Senhor e muitas outras formas, contudo, encontramos nas Escrituras, um texto que diz; “Sem fé é impossível agradar a Deus”. (Hebreus 11:6). O apóstolo Paulo parece ter condicionado as ações do homem, à fé, em um questionamento sobre o que haviam de comer ou não, no capítulo 14 de sua carta Aos Romanos, ele encerra dizendo; “Mas aquele que tem dúvidas é condenado se comer, por que o que faz não provém da fé; e tudo o que não provém de fé é pecado”, digo que ele condiciona as ações do homem, à fé, simplesmente pela expressão ‘TUDO’, saindo assim, o apóstolo, do âmbito da comida e alargando a discussão a outras áreas da vida do homem. O que nos leva a acreditar que tudo praticado sem fé constitui-se em pecado.

FÉ E A RELAÇÃO COM A PALAVRA
É bem verdade que para o servo de Deus, a fé está inteiramente ligada ao conhecimento da Palavra, pois até para ser salvo, é pelo conhecimento desta Palavra; “E assim, a fé vem pela pregação, e a pregação pela Palavra de Cristo”. Desta forma, para se crer é necessário conhecer as Escrituras, por que Nelas encontramos conhecimento para a vida eterna, e de quem mandou dizer as palavras, a saber, o próprio Deus. (Sl 9.10; Rm10: 14). Pois, sobretudo, no Brasil, muitos têm conhecimento do sacrifício de Cristo e sua história, mas, não do verdadeiro significado. Com isso, falta-lhes convicção de que os fatos acerca de Cristo são verdadeiros, desde sua morte e ressurreição até a salvação do homem. Agindo assim, continuam presos e cegos, pois as escamas só caem dos olhos, quando há o conhecimento e a aceitação pela fé (convicção) em Deus e sua palavra. Nada mais seguro do que depositarmos nossa certeza numa esperança garantida por um Deus que não pode mentir Tt 1:2.

UMA FÉ PESSOAL
Não há mérito na fé simplesmente, e sim em quem ela é depositada, ou no que, pois somos salvos não somente pela fé, e sim, em Cristo que é o autor da fé, como sendo Deus. Pois os idólatras põem sua fé sincera em seus deuses de madeira e pedra, no entanto, não alcançam a salvação, pois estão dando crédito a uma mentira. Então, podemos perceber que, o objeto de nossa fé, é fundamental. A fé direcionada a outro ‘salvador’ que não seja Cristo não produz Salvação. Pois, nossa única esperança está em Cristo, portanto devemos crer nele sem duvidar, por que o amamos mesmo sem vê-lo para salvação de nossas almas. (I Pedro 1:8-9).

A FÉ E AS OBRAS
O apóstolo Paulo, contemplando a relação entre fé e obras numa perspectiva divina, não poderia de forma alguma, admitir uma só se quer ação do homem neste processo, em termos de obras, até porque, o apóstolo fala de uma justificação pela fé, ou seja, ação de Deus direta sem que o homem pudesse produzir algo que viesse a justificá-lo diante Dele, e assim, ser salvo, Rm 4:1-12. O apóstolo fala de um processo anterior a regeneração, seria como se o apóstolo estivesse citando os requisitos para ser salvo, e declarasse, expressamente, que a prática de obras não seria um deles. Tiago, por sua vez, parece contemplar o homem já regenerado, não precisando da prática de obras para ser salvo, e sim demonstrar através de obras que realmente passou por este processo. Contemplando assim, na perspectiva humana, declara que, o comportamento do crente é julgado pela sua mudança de vida, e isto, implica em praticar boas obras, não para ser salvo, e sim, por que é salvo. Tiago 2:14-26.

A FÉ NO DEUS INVISÍVEL
Deus é assim, quer que creiamos nele sem termos ideia de como seja, a não ser pela fé, pois o ser humano tende a se apegar ao que ver, e muitas vezes não se apega ao ser, e sim, a sua imagem, e Deus não quer ser adorado pelo que pensamos dele, e sim pelo que ele é, e isto, só pode ser através da fé, e a primeira exigência é, crer que Ele existe e que é galardoador (presenteador) dos que o buscam, Rm 11:6b. Ninguém pode prosperar no caminho de Deus, se duvidar de sua existência. Nossa fé em Jesus Cristo nos faz perseverar em meio às circunstâncias desfavoráveis, pois cremos que cristo tem poder e ouve nossas petições e nos livra das dificuldades.

NÃO HÁ LIMITES PARA A FÉ
“Crer é antes de tudo, viver no sobrenatural, foi exatamente isto que o Senhor Jesus falou a seus discípulos “se tiverdes fé e não duvidardes” ou Se a este monte disserdes: Ergue-te e lança-te no mar, tal sucederá “(Mt 21:21.). O que seria ter fé sem duvidar, certamente seria uma fé inabalável, que não oscila com a situação momentânea, pois uma fé desta forma nos leva a crer que o Senhor a tudo muda tudo transforma, então, diante disto, só temos uma saída, crer e mover o sobrenatural a ponto de Deus mudar a nossa história, por que o próprio Cristo quer que realizemos grandes obras, ou melhor, quer realizar em nós essas grandes obras. ( Jo 14:12).

CONCLUSÃO
Nossa fé deve está na esperança, e esta é Cristo, garantida por um DEUS que não pode mentir, assim, tanto em coisas futuras como presentes, devem ter como alicerce a fé, que se torna a base de tudo na vida do Cristão. E claro, devemos ter em mente que só podemos tratar com Deus se crermos que Ele existe.



JESUS LIVRA VOCÊ DA ESCRAVIDÃO ( 3 Semana) “Se, pois o filho vos libertar verdadeiramente sereis livres.”
João 8:36


INTRODUÇÃO


A REALIDADE DO PECADO

Lógico, o novo nascimento vem quando reconhecemos que somos pecadores. Então quando entramos na nova vida já temos a ideia de que o pecado não nos faz bem, em Hebreus 12:1 diz; “Portanto, também nós, visto que temos a rodear-nos tão grande nuvem de testemunhas, desembaraçando-nos de todo peso, e do pecado que tenazmente nos assedia, corramos com perseverança a carreira que nos está proposta”. Deus nos chama a renunciar ao pecado e perseverar firme no Senhor. Contudo, não é fácil para uma pessoa permanecer firme, se não tomar alguns cuidados. Quando uma pessoa se converte, ou seja, nasce de novo, ela rompe com o padrão do mundo e está disposta a permitir que Cristo promova mudanças profundas em sua vida, o que não é tarefa fácil, pois em alguns momentos parece que todos estão contra a ela.

ENTREGUES AOS CUIDADOS DE CRISTO

No Evangelho de João Capítulo 10, Jesus fala que Ele é o bom pastor que dá a vida pelas ovelhas, e que o ladrão vem somente para roubar matar e destruir. Se analisarmos com cuidado, vamos entender, Jesus fala dos falsos mestres, daqueles que têm sempre uma fórmula mágica ou uma religião sem muita exigência como solução para as nossas vidas, esses enganadores podem ser nossos amigos do passado e até familiares que tentam nos confundir, nos tirar do foco que é a glória de Deus, quando eles veem vir o lobo, ou seja, nos momentos de perseguição e dificuldades eles fogem e nos abandonam a própria sorte. Eva viu que o fruto era agradável aos olhos e bom para se comer (Gênesis 3:6), desejou o que Deus havia proibido e desgraçou sua vida e amaldiçoou a terra (Gn 3:17),é assim que acontece quando damos ouvidos a serpente, que fala pela boca de pessoas que nos oferece algo muitas vezes agradável aos olhos, mas que nos trarão maldições, isto é, o pecado.

VIVIFICADOS EM CRISTO

É preciso entender, antes de qualquer coisa, nossa situação diante de Deus, quando ainda não conhecíamos a Cristo. A Bíblia diz que estávamos mortos em nossos próprios delitos e pecados. Efésios 2:1, e que não tínhamos esperança, Efésios 2:12. Contudo, Deus nos deu vida em Cristo, “pois assim, como o Pai ressuscita e vivifica os mortos, assim também o Filho vivifica aqueles a quem quer”, João 5:21. Agindo assim, Ele nos livrou da condenação do pecado e da morte, Romanos 8:1. Ele nos libertou do império das trevas e nos transportou para o seu Reino, col. 1:13. Agora temos comunhão com Cristo e consciência de estar vivendo uma Nova Vida. O Senhor não vai pedir que façamos algo que nos faça mal. Agora que somos Filhos de Deus, devemos andar como Cristo andou, ou seja, em Santidade.

LIBERTOS DO PECADO

“Sabemos isto, que foi crucificado com Ele o nosso velho homem, para que o corpo seja destruído, e não sirvamos ao pecado como escravos; por quanto quem morreu justificado está do pecado”. Romanos 6:6-7. A vida cristã é para ser vivida, e as mudanças irão acontece paulatinamente, pois quando estamos com Cristo, temos legitimidade para enfrentar aos vícios do velho homem, as velhas práticas, ao mesmo tempo em que alcançamos o padrão de Deus para nós. É Natural que tenhamos dificuldades em lidar com as circunstancias diárias, contudo, em Hebreus12: 4 diz “Ora, na vossa luta contra o pecado, ainda não tendes resistido até ao sangue”. Começamos a viver uma nova vida, então, muitas coisas acontecerão para nos tirar do foco que é Jesus e sua Palavra, se faz necessário que estejamos vigilantes. “Pois o nosso adversário anda em derredor como leão que ruge procurando alguém para devorar”. I Pedro 5:8.

LIVRES DA CONDENAÇÃO

“Em Verdade, em Verdade vos digo: quem ouve a minha Palavra e crê naquele que me enviou, tem a Vida Eterna, não entra em condenação, mas passou da morte para a vida” João 5:24. Vimos no estudo anterior que fomos feitos filhos de Deus, e isto nos dá uma garantia, Deus nos chamou para mudar a nossa história. Para que isto se torne realidade é necessário romper de uma vez por todas com as práticas do mundo, e nos afastar de tudo aquilo que nos faz mal, pois cedo ou tarde seremos confrontados com a Palavra de Deus sobre nossa conduta. Efésios 4:1 “Rogo-vos, pois, eu, o prisioneiro no Senhor, que andeis de modo digno da vocação a que fortes chamados”. Somente buscando um relacionamento íntimo com Deus, encontraremos forças para suplantar as tentações e continuar firmes no Senhor.

CONCLUSÃO

Deus nos libertou do império das trevas, nos trouxe à vida, e tudo que nos pede é que busquemos sua presença e de dediquemos nossas vias a Ele como único e verdadeiro Deus, agindo desta forma, certamente nos fortaleceremos todos os dias, e o conheceremos na intimidade.





Aprendendo a Orar Com Jesus (4 Semana)



Mt 6:5-15

INTRODUÇÃO

Jesus como Filho de Deus, era sabedor que antes de tudo, tinha um propósito a realizar em favor do homem. Tinha dentro de si um desejo intenso de falar com Deus, pois sabia que somente através da oração poderia estabelecer um elo com Deus pai. Alguém falou em determinado momento: “Deus dá maior valor à nossa oração e comunhão com Ele, do que qualquer serviço”. “Um dia sem oração é um dia sem benção, e uma vida sem oração é uma vida sem poder”. O profeta Daniel preferiu passar uma noite com os leões do que passar um dia sem oração.

ORAÇÃO; UMA DEFINIÇÃO.

Orar é estender toda a nossa incapacidade e a de outros, em nome do Senhor Jesus Cristo, perante os olhos carinhosos de um Pai que tudo sabe tudo entende, tudo acolhe e tudo responde. A Oração é a respiração e o suspiro do espírito humano por Deus.

A NECESSIDADE DA ORAÇÃO

A razão de todo fracasso, é a falta de oração. Para verificar isso, basta estudar a vida de Saul (no AT) e Judas Iscariotes (no NT). Estes homens não tinham o hábito de orar. Ou ainda, analisando as atitudes de alguns servos de Deus em que não oraram antes de tomar algumas atitudes. Abrão, antes de tomar por mulher Hagar, ou antes, de descer ao Egito. O apóstolo Paulo não orou antes da desavença com Barnabé por causa de João Marcos (Atos 15:36-41). A grande tragédia de Davi veio quando ele passeava sem oração no terraço da casa e viu a Bate-Seba. Citamos apenas alguns exemplos de homens dedicados a Deus. Contudo, em alguns momentos de vacilo, sofreram as consequências por não vigiarem em oração. Sendo assim, é bom que todo homem busque ao Senhor em oração em tempo de poder encontrá-lo, Salmo 32:6ª.

COMO SE DEVE ORAR

Um grande homem de oração, Jorge Müeller, descobriu que é melhor começarmos o dia pela leitura da Palavra de Deus, do que diretamente orar, ilustra isso da seguinte forma, pelos dois elementos necessários ao cilindro do automóvel, para produzir a explosão e a força resultante. O primeiro elemento é a centelha, o segundo o combustível. Ora, no coração do crente a centelha pode estar presente logo cedo; mas para que haja poder em oração, precisamos encher o coração do combustível da palavra de Deus. A leitura da Palavra de Deus em atitude humilde, e a meditação diária e planejada, resultam em fé, em poder, em vontade de orar. João 6:63: Mas a própria leitura da palavra devemos começar com uma breve oração, Salmos 119:18. Em oração devemos adorar ao Pai pelo o que ele é, Romanos 11:33. Devemos agradecer ao Senhor pelo que já fez por nós e por outros, Lucas 17:17-18. Devemos adorá-lo com louvores, Salmo 107:8. Achegando-se a Ele como filho, é preciso antes de tudo, termos na mente e coração, que Deus é também nosso próprio Pai querido. (Is 40:22ª; Rm 8:15. Gl 4:6.). Devemos ver a miséria do próprio coração e vendo a glória e a graça de Deus, assim curvando a cabeça e confessando o que somos. I João 1:9.

IMPEDIMENTOS À ORAÇÃO
O RANCOR constitui-se em um dos principais obstáculos a oração, pois o cristão deve aprender a liberar perdão e com isso o rancor, e isso só será possível, com a prática da oração. Mateus 6:14-15. O EGOÍSMO, muitas esposas querem a salvação de seus esposos, apenas para que haja mais alegria no lar. Contudo, deve lembrar-se que a principal razão deve ser a glória de Deus e resgate de outras famílias. Muitos pais oram por seus filhos, mais nunca levantaram a voz em favor dos filhos de seus melhores amigos, digo que tenham orado com fervor por eles, e isso é egoísmo, Deus quer que intercedamos pelos outros. Jó 42;10. Mt 6:10. A FALTA DE AMOR NO LAR, muitos homens que parecem anjos em público e demônios em casa, não sabem por que suas orações não são respondidas, esposas ciumentas e injuriosas, dadas a gênios e queixas, admiram-se quando suas orações não são respondidas, o mesmo acontece com filhos desobedientes. I Pe 3:6-7. MESQUINHEZ, o apóstolo Paulo alegrou-se com a igreja de Felipo ter repartido as suas finanças com ele. Fp 4;16. O apóstolo abençoou aquela igreja Fp 4:19 . Deus é grande doador e Ele derrama as suas melhores bênçãos sobre aqueles que não querem guardar nada para si. João 3:16; I João 3:17 e 22. Há ainda vários outros impedimentos: ingratidão, Rm 1:21; orgulho, Jó 35:12-13; vontade própria I Samuel 15:15:22-23.

CONCLUSÃO

O que produzia maior desejo e admiração nos corações dos discípulos eram as orações do Senhor Jesus. Lc 11:1. Se o Filho de Deus achou a oração necessária em sua vida, que lugar você acha que deve ocupar em nossas vidas? Devemos orar com persistência, as demoras de Deus não são negações. Cada dia chegamos mais perto da resposta. Lc 11:9.



JESUS LIVRA VOCÊ DA CONDENAÇÃO – Rm 6:23 (5 semana)
INTRODUÇÃO

No Evangelho de João Capítulo 10, Jesus fala que Ele é o bom pastor que dá a vida pelas ovelhas, e que o ladrão vem somente para roubar matar e destruir. Se analisarmos com cuidado, vamos entender, Jesus fala, quando se refere ao ladrão, dos falsos mestres, daqueles que têm sempre uma fórmula mágica ou uma religião sem muita exigência como solução para as nossas vidas, esses enganadores podem ser nossos amigos do passado e até familiares que tentam nos confundir e nos tirar do foco que é a glória de Deus, além, é claro, de sacerdotes e falsas religiões. Quando eles veem vir o lobo, que é o diabo com suas artimanhas, ou seja, nos momentos de perseguição e dificuldades, eles fogem e nos abandonam à própria sorte. Eva viu que o fruto era agradável aos olhos e bom para se comer (Gênesis 3:6), desejou o que Deus havia proibido, deu ouvidos ao lobo que é o diabo, desgraçou sua vida e amaldiçoou a terra (Gn 3:17). É assim que acontece quando damos ouvidos à serpente, que fala pela boca de pessoas que nos oferecem algo muitas vezes agradável aos olhos, mas que nos trarão maldições, isto é, o pecado.

A REALIDADE DO PECADO

Quando uma pessoa se converte, passa a conviver com um novo estilo de vida, contudo, algumas dificuldades ainda persistem, é nesse momento que ela é atacada de todos os lados, por que o alvo maior de satanás e seus agentes é fazê-la desistir de Cristo e sua obra redentora. Então, tentarão seduzi-la de todas as formas, muitas pessoas estão caminhando bem, e em determinado momento acabam se embaraçando com o pecado e perdendo tudo o que haviam conquistado, pois, quando cedem, dão legitimidade para o pecado e seu verdadeiro autor agir em sua vida. “Por que o salário do pecado é a morte.” Romanos 6:23ª, esta é a recompensa que uma pessoa recebe ao ceder aos apelos do pecado, a morte e separação total de Deus, num primeiro momento parece que nada acontece, e isto faz com que a pessoa continue nesta prática, e sem perceber afasta-se da família de Deus, e consequentemente do Senhor, desta forma fica entregue a própria sorte. A Bíblia relata como o pecado entrou no mundo, “Portanto, assim como por um só homem entrou o pecado no mundo, e pelo pecado a morte, assim também a morte passou a todos os homens porque todos pecaram.” O pecado entrou no mundo por legitimidade, através do homem, é claro que estamos falando do pecado original, (pecado que deu origem a todos os atos pecaminosos, pois tornou o homem pecador), o que o texto fala, é que todos os homens nascem sob a influência do pecado.

LIVRES DA CONDENAÇÃO

O apóstolo Paulo escreveu em Romanos 8:8 “os que estão na carne não podem agradar a Deus”. Mas, você pode perguntar; o que é viver na carne? Viver na carne é viver na prática do pecado, segundo as inclinações e práticas do mundo, ou seja, viver deliberadamente pecando. João escreveu “o que é nascido de carne é carne” João 3.6. João refere-se ao estado do homem ainda na forma natural, isto é, antes do encontro com Cristo, este vive deliberadamente pecando porque não conhece a Deus. Na primeira carta de João, lemos; “Veio a graça sobre todos os homens para justificação de vida”, I João 5:18. Esta justificação indica uma condenação a ser removida, é o que vemos em 1 Coríntios 15:22, “Assim como todos morrem em Adão, assim também todos serão vivificados em Cristo”. Em Cristo temos a redenção da nossa alma. Desse modo “como, pela a desobediência de um só homem, muitos se tornaram pecadores, assim também, por meio da obediência de um só, muitos se tornarão justos”. Percebemos que o pecado entrou no mundo pela desobediência, e foi anulado pela obediência, esta parece ser a chave da mudança genuína e verdadeira que Deus quer operar em cada coração. Ora, sabemos que foi crucificado com ele o nosso velho homem, para que o corpo do pecado seja destruído e não sirvamos ao pecado como escravos; nem reine o pecado em vosso corpo mortal, a ponto de obedecerdes as vossas paixões. Rm 6:6 e12. O que sabemos é que aquele ao qual obedecemos é que nos tornamos servos, ao pecado para a morte, ou a Cristo para justificação e Vida Eterna..

CONCLUSÃO

Adquirimos como herança o pecado em nossas vidas através da velha natureza, o que nos fez pecadores e distantes de Deus Romanos 3.23, no entanto, no amor de Cristo somos feitos filhos de Deus, João 1:12. Recebemos de Cristo legitimidade para viver uma nova vida, livres da condenação do pecado Rm 8:1. È bem verdade que o Senhor quer de nós empenho e vigilância, ingredientes que não podem faltar à vida de um servo de Deus.

Um comentário:

  1. Olá!
    Gostaria de ter umarenda extra com o seu blog trabalhando 1 hora por dia em seu computador?
    Não se trata de vendas e nem indicar pessoas.
    Visiste nosso site http://ganhosweb.com ou envie um email para suporte@ganhosweb.com

    ResponderExcluir